Segunda-feira, 25 de Julho de 2005

Noite de Verão

286798-large.jpg





Ontem acordei e a chuva caía lá fora.

Não era forte, eram pingos de saudade que vieram aconchegar-se na terra quente e sequiosa.

Levantei-me, sonolenta, guiada pelo som do vento lá fora e a vontade de lá chegar. Pé ante pé em silêncio para que a minha loucura não se tornasse doença incurável na madrugada surpreendente.

Abri a garagem, descalça, o meu corpo parou sobre a relva aparada na tarde anterior.

À terra agora molhada, antes seca, fora-lhe dado a provar o mais puro néctar, deixando-a, assim, na espera antecipada de cada grão de pó sedento da água que há-de vir. Mais tarde. Noutro tempo. Noutra estação.



Os meus sentidos já despertos.

Ouvidos atentos, rosto e mão elevados sentiam a brisa molhada onde pingos doces se derretiam.

A boca aberta provava a água quente e pouco densa num escorrer sensual pela garganta seca.

Os olhos fechados pressentiam a luz da lua, das estrelas, cujos raios de luz deixavam passar as gotas de água alinhadas, constantes, rápidas no seu cair constante, certas do seu destino a instantes renovado.

O cheiro forte, quente, invadia-me, inebriante, inesquecível numa noite de Verão.

Os fios do meu cabelo, enleados, colavam-se ao meu rosto numa carícia tão meiga quanto sonhada.

Ensopada toco o meu corpo gelado e estremecido.



Sinto o anjo que me guarda.

Sorrio à noite, abro os olhos à escuridão, dispo a camisa molhada, elevo os braços e as mãos numa dádiva escondida e solitária.

Rodo sobre mim, a solidão que amo está presente.

O silêncio cúmplice da noite sussurra palavras doces.

A voz que amo acaricia-me o rosto. As suas palavras roçam-me as faces, lambem a minha boca, beijam a minha língua.

A boca silenciada murmura-me palavras perfeitas.

No meu pescoço sopras o teu respirar.

O meu corpo balança num desequilíbrio amparado pela felicidade que o rodeia.



A água escorre pelo meu peito, param gotas suaves e inquietas nos montes e vales desnudos, para logo seguirem escorrendo, perdendo-se entre as minhas pernas, pelas minhas coxas, acabando a lamber os meus pés, deslizando finalmente por entre os meus dedos enterrados na terra.

Inebriada toco o meu corpo, procuro nele o teu cheiro, o teu toque, fragmentos da tua pele.

As minhas mãos sentem um corpo em êxtase, num estado de convulsão.

Respiro profundamente, numa tentativa perdida de voltar à realidade.



Sinto a tua presença.

As lágrimas que escorrem do céu, juntam-se solidárias às que correm pelo meu rosto, misturando vidas, mortes, sonhos, dores, alegrias, sorrisos, gargalhadas, paixão, amor.

Fecho os olhos golpeada pelo reconhecer de tantas vidas, emoções, minhas, tuas, dos outros.



O coração explode, no meu peito contraído, num ritmo incessante de vida.

Um murmúrio de paz irrompe de mim, numa imparável sensação de prazer.

As pernas derrubam-me, caio sobre a relva molhada, na terra estimulada e alagada de vida.

O meu corpo nú enterra-se numa fusão de vida e prazer.

Nos meus seios brilha a água cor de prata que a Lua ilumina.

Na minha barriga acumulam-se gotas que escorrem quietas, frias, cor das estrelas.

As minhas pernas e braços cobrem-se do castanho da terra molhada.

Assim moldada ao barro latente.

O meu cabelo navega entre riachos de água que desbravam a relva verde saciada.

O meu rosto iluminado pela luz da noite escura, incandescente sob as tuas asas, recebe o teu amor embalado pela brisa que veio do Sul.



Não sei o tempo que fiquei, apenas recordo o que senti, e como fui feliz.
publicado por eu34 às 19:27
link do post | obrigada pela visita | favorito
11 comentários:
De Anónimo a 27 de Julho de 2005 às 22:27
Uma frase que nos trouxeste é de uma profundidade sem igual.
"As lágrimas que escorrem do céu, juntam-se solidárias às que correm pelo meu rosto, misturando vidas, mortes, sonhos, dores, alegrias, sorrisos, gargalhadas, paixão, amor...
Tem vidas lá dentro..:)

Daniel
(http://seedsof.blogspot.com)
(mailto:seedsof@hotmail.com)
De Anónimo a 27 de Julho de 2005 às 21:06
Realmente o tempo não é o mais importante, mas sim o que fizemos com ele e o que com ele sentimos. Tão bom sentirmo-nos felizes... :) As tuas palavras souberam-me bem. Um beijo grande :)C.
(http://acarosnoarmario.blogs.sapo.pt)
(mailto:por-aqui@sapo.pt)
De Anónimo a 27 de Julho de 2005 às 19:27
Nas gotas da chuva, na brisa do vento, na luz do luar, portodos os lados, mas particularmente, dentro de ti, está a presença daquele que sentes, que te embala nas noites escuras e frias, que te ama nas madrugadar torridas de verão, que te consome num abraço terno e simples, mas carregado de fogo e paixão. Nunca te esqueças que existe um anjo que é só teu, o teu anjo da guarda.alfa69
(http://daquidali.blogs.sapo.pt)
(mailto:aalmas@marbosserra.pt)
De Anónimo a 27 de Julho de 2005 às 14:53
Na minha terrinha hoje está um dia de verão com chuva, é optimo! bjsPeter
</a>
(mailto:btolliveira@hotmail.com)
De Anónimo a 27 de Julho de 2005 às 13:06
Gosto muito do teu blog. Consegues transmitir paz em tudo o que escreves. Um abraaaaaçoPaula
(http://www.paulaluamar.blogs.sapo.pt)
(mailto:golfinhaluar@hotmail.com)
De Anónimo a 27 de Julho de 2005 às 12:46
Texto sensual e muito bem escrito. Gostei de ler. Vi tudo, mesmo sem imagens, como se estivesse a ber um filme. Parabéns. Beijinhos***NILSON
(http://nimbypolis.blogspot.com)
(mailto:nimby33@hotmail.com)
De Anónimo a 27 de Julho de 2005 às 04:25
Simplesmente lindo...
Palavras mais profundas,sentidas...
Um texto k ñ se consegue parar de ler enkanto ñ acabar,pois fica-se tao compenetrado a ler,parece k tamos a viver o k tas a contar...
Mnt bonito..
Parabéns adorei o blog...
Tou como o meu amigo ventoso,so k há um problema...
Eu acrescentava o teu blog nos meus links mas..
O problema é k eu ñ sei fazer ixo... hehehe.
lol
Bjcs e já ganhaste um novo visitante e comentador...
moreninho
(http://www.regressaami.blogs.sapo.pt)
(mailto:D_F_A_@hotmail.com)
De Anónimo a 27 de Julho de 2005 às 04:02
Às vezes era bom que achuva pudesse lavar a nossa alma e toda a nossa tristeza...o teu Blog consegue.Sandra Nunes
(http://contagemdecrescente.blogs.sapo.pt/)
(mailto:sandrablog@sapo.pt)
De Anónimo a 26 de Julho de 2005 às 11:59
Gostei do teu Blog. Obrigado pelas tuas palavras e vou adicionar o teu blog ao meu. Parabens pelo que escreves. Não desistas... tens um interior muito lindo. Abraço. VentosoVentoso
(http://www.ventoso.blogs.sapo.pt)
(mailto:samuelbastosventoso@sapo.pt)
De Anónimo a 26 de Julho de 2005 às 10:36
Querida Eu33
Os teus textos já são para mim do melhor que se faz na blogo que visito. Quase me senti condensado nessa água que escorria pelo teu corpo, sentido cada célula da tua pele e fazendo parte do teu arrepio...
Um beijo
DanielDaniel Aladiah
(http://www.aladiah.blogspot.com)
(mailto:aladiah2005@hotmail.com)

Comentar post

.estou por aí... entre a realidade e os sonhos....

.pesquisar

 

.Dezembro 2005

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.posts recentes

. Até lá...

. Análise

. Pergunto...

. Alice perdeu o amor.

. Quarto sem luz ...

. Inocência perdida.

. Espaço vazio.

. Resistir (sem data de reg...

. Li algures...

. A olhar a minha rua.

.arquivos

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Agosto 2005

. Julho 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

. Abril 2005

. Março 2005

.subscrever feeds