Sexta-feira, 4 de Novembro de 2005

Pergunto...

Pergunto-me constantemente porque não me olhas nos olhos, é algo que me deixa incomodado, e sei que percebes isso.

No outro dia falei contigo, nem sequer era sobre nós, e nunca, mas em nenhum momento, enfrentaste o meu olhar.

É tão estranho sentir que me ouves e não me vês, é como se nem estivesses ali ao pé de mim.

E se te pergunto, fazes de conta que nem havias percebido o facto, contemplas-me de relance, com um olhar que atravessa o meu corpo.

Não sei como chegar até ti!

Quando chegas de manhã os teus bons dias são rápidos e generosos, nem sequer te dignas piscar-me o olho, como em tempos me habituei.

Observo-te pelos vidros do gabinete, mando-te mails, passo à tua frente vezes sem conta, conto-te as minhas últimas compras, faço comentários de futebol, peço-te uma bolacha, uma “trinca” da tua maçã.

Sei que me vês a fazer tudo isto (ainda me lembro da tua visão periférica!),no entanto, raramente respondes aos meus mails, e se o fazes é através de um comentário seco e que bem podia ser para o padre da freguesia, nunca te apercebes se as roupas que visto são novas, no futebol o nosso clube já não é assunto que nos sirva de desculpa para namorar, as bolachas sou eu que as retiro do pacote que fica na última gaveta, enquanto me viras costas para buscar uma qualquer impressão que apenas nesse instante te lembras de pedir, a maçã posso bem comê-la sozinho, pois sei que já não voltas a mordê-la.

Hoje regressaste do almoço em cima da hora, vinhas a falar ao telemóvel com uma voz meiguinha que me fez morder o lábio de raiva. Desligaste o telefone a sorrir, com a voz sussurrada dos amantes, e suspiraste no fim.

Com quem falavas?

Qual seria o tema da conversa?

Porque sorriste?

Que ouviste que te fez suspirar?

Hoje ao fim da tarde vi-te tirar as moedas para o café, fui atrás de ti, até ao refeitório, queria estar contigo, roubar-te um beijo, cheirar-te, sentir o teu corpo apertado contra o meu, respirar-te, ver-te corar enquanto fugirias devagarinho para logo te aconchegares em mim.

A tua cara quando me viste entrar!!!

Não estavas mesmo à espera, pois não?

O facto de eu aparecer foi uma surpresa para ti e não percebo porquê.

Engoliste o café quente, que sei detestas tomar assim, e logo te encaminhaste para a porta, sem mesmo te fazeres a mim, nem com um olhar.

Feito menino, ainda te falei, fazendo-te ver que não havias comentado as botas novas, ao que respondeste que eram bonitas, e que iria ter sempre os pés quentes, despachando o assunto, e deixando-me a falar sozinho.

A porta fechou-se nas tuas costas.

Ou será que se fechou na minha cara?

Minutos depois ouvi-te a rir, bem disposta, apressei o passo e ainda vi de relance os olhos brilhantes, o rosto vibrante, o passo apressado como que a afastares-te de mim.

Bem sei, que é tua vontade não ficarmos juntos, mas no passado, nunca foi impedimento para as recaídas, sempre apaixonadas e viciantes.

Sabes que me viciei nos teus beijos?

Como foram as tuas palavras?

“... pensei bastante, e não vejo qualquer possibilidade de algum dia sermos felizes juntos, não posso continuar iludida, e sobretudo a alimentar-me de ilusões que só me fazem mal.... ambos temos as nossas vidas e como tal temos que respeitar quem nos acompanha...”

Se ao menos tivesses percebido como detestei o que escreveste!!! Cheguei a odiar-te naquele momento, não porque não te compreendesse, mas porque te senti fria e distante, de uma forma que eu nunca tinha experimentado.

Nem quando éramos apenas colegas de trabalho e eu te chateava e te fazia chorar com a minha rudeza e falta de sensibilidade!!!!

Acho que me habituei a ter-te sempre minha, fiel, leal e apaixonada.

Sinto-te tão longe de mim.

Já não me amas?

...












publicado por eu34 às 19:55
link do post | obrigada pela visita | favorito
|
22 comentários:
De Anónimo a 30 de Novembro de 2005 às 16:47
longe... tão perto adorei
espero que continues com esta força de transcrever os teus sentimentostesouromio
(http://tesouromio.blogspot.com/)
(mailto:sempre@saandinenses.com)
De Anónimo a 15 de Novembro de 2005 às 21:07
Nostalgica ou tristinha? Fico á espera da tua resposta, nininha. Jinhos ternos. Ps: Gostei do teu post, mas gostava de ter a tua resposta, ok?Perfect Woman
(http://perfectwoman.blogs.sapo.pt/)
(mailto:perfect_woman63@sapo.pt)
De Anónimo a 15 de Novembro de 2005 às 21:05
Nostalgica ou tristinha?? Fico á espera da resposta ;-) jinhos nininha. ps: gostei do post, mas quero a resposta, ok?Perfect Woman
(http://perfectwoman.blogs.sapo.pt/)
(mailto:perfect_woman63@sapo.pt)
De Anónimo a 15 de Novembro de 2005 às 20:22
Venho dar-te os parabéns pois vi que passaste a Eu34 :) Que tenhas tido o dia feliz que mereces e que assim o sejas todos os que se seguirem. Continua assim como és, com essa dignidade tão bonita que deita abaixo os comentários tontos sem ter que os apagar. Um beijo enorme!Carla
(http://acarosnoarmario.blogs.sapo.pt)
(mailto:carla.pedro@gmail.com)
De Anónimo a 15 de Novembro de 2005 às 17:11
Hummm... Eu33 passa a assinar comentários como Eu34? Logo = PARABENS!!! Elementar, meu caro Imagine_me...Sherlock Zuco
(http://www.citizenzuko.blogs.sapo.pt)
(mailto:zuco40@yhaoo.com)
De Anónimo a 15 de Novembro de 2005 às 12:57
Olá, Eu33... achei o teu texto triste, pelo menos deu me uma sensaçao de vazio... em especial o "ja nao me amas"? quando ja nao ha laços que unam duas pessoas uma delas sofre sempre pelas duas... :(
beijosVampiria
(http://satanlandia.blogspot.com)
(mailto:velvetdarknesstheyfear@iol.pt)
De Anónimo a 15 de Novembro de 2005 às 12:00
Olá Eu33 deveras estranhar este meu comentario, mas com todo o respeito e atrasada...venho dar-te os parabens pelo teu aniversario já seguramente comemorado. Sou +- da mesma data que tu, por isso não podia deixar de te comprimentar por tal. Beijo grande, fica bemMiss Lust
(http://missluxuria.blogs.sapo.pt)
(mailto:lust2@sapo.pt)
De Anónimo a 14 de Novembro de 2005 às 19:33
Agora o papel do homem. Agora a outra face da moeda que vem provar (será preciso?) que o homem também sofre. O nosso problema é admiti-lo.
Gosto sempre muito dos teus textos e apesar de achar que escreves pouco acabo por “agradecer” que assim seja. É que dás-me sempre imenso trabalho de casa. Eu podia chegar aqui e deixar um :”fica bem e gostei muito, etc.” mas não é a minha maneira de andar nos blogs. Gosto de ler com atenção e interpretar o que está nas “entrelinhas” mas contigo e com mais duas ou três pessoas, que visito regularmente, às vezes torna-se difícil.
À Maria (VA) costumo, a brincar, dizer que os poemas dela até me fazem deitar fumo pelas orelhas.
Uma beijoka e até breve.
P.S. não sei como deixei passar este texto tanto tempo. Tenho andado um bocado distraído e começa a ficar frio para estar muito tempo a “computar”.


José S.
(http://ruadobeco.blogs.sapo.pt)
(mailto:jgjs2@sapo.pt)
De Anónimo a 13 de Novembro de 2005 às 22:48
Frontal, em discurso directo...desabafo puro do que se sente e do que se deseja.
Pergunto. Valerá a pena tentar querer a agua que nos foge por entre os dedos?...
Um beijo
Orfeu
(http://www.ruas-sem-nome.blogspot.com)
(mailto:mabaorfeu@portugalmail.pt)
De Anónimo a 11 de Novembro de 2005 às 16:08
Improviso para uma rosa:

a flor do tempo é o teu perfume
tem a cor da lua e o teu nome

a flor do tempo efeita o acaso
dá beleza ao que será verso

a flor do tempo eu te trago
envolta em núvens de água

ou será apenas a chuva
na tarde em que te encontro
e o mundo se torna palavra
para que eu te diga o vento

e toque teus cabelos assim
porque suavemente acaricia

Carlos
(http://vagueando.blogs.sapo.pt/)
(mailto:c_m_a_n_u_e_l@hotmail.com)

Comentar post

.estou por aí... entre a realidade e os sonhos....

.pesquisar

 

.Dezembro 2005

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.posts recentes

. Até lá...

. Análise

. Pergunto...

. Alice perdeu o amor.

. Quarto sem luz ...

. Inocência perdida.

. Espaço vazio.

. Resistir (sem data de reg...

. Li algures...

. A olhar a minha rua.

.arquivos

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Agosto 2005

. Julho 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

. Abril 2005

. Março 2005

.subscrever feeds