Quinta-feira, 17 de Março de 2005

Amor II (parte 1)


Tinha vinte anos quando o conheci.
Era ainda uma menina.
Lembro-me dele ter entrado no escritório, que meses mais tarde, prolongando-se até hoje, iríamos partilhar.
Altivo, sobranceiro até, quase nem respondeu ao meu cumprimento formal e obrigatório.
Para ser sincera acho que nem me olhou.
Anos mais tarde dir-me-ia que, nesse dia, me sentiu de uma forma estranha, inexplicável até…
De qualquer forma disfarçou bem, pois não me recordo de o ver a olhar-me.
Quando o vi pela primeira vez olhei e voltei a olhar, querendo reafirmar a impressão que me deixarias ficar para sempre.
Alto, moreno, olhos escuros, confiantes, seguro de si mesmo. Emanava orgulho e poder
Tinha trinta anos.
Ainda não sabia mas adivinhava nele uma carga de trabalhos nos tempos que se seguiriam.

Lembro-me de ter pensado que eras demasiado igual ao meu primeiro amor.
Foi um pensamento rápido, fugaz até, como se não quisesse recordar um passado ainda recente. Esse pensamento viveu comigo em cada segundo de convivência, escondido no mais intimo do meu ser, servindo como pêndulo de segurança no meu relacionamento contigo, durante anos.

Foste embora, nesse dia, e quando saíste respirei fundo, quase como se me libertasse de um opressor, como se de repente tivesse de lutar para viver.
…
Voltaste dias depois, acompanhado do teu filho mais velho. Uma cópia em miniatura do pai que o segurava pela mão.
Nesse dia olhaste para mim, sorrindo, orgulhoso do menino que levavas pela mão. Ou talvez não. Talvez fosse mais o orgulho de ser pai e a segurança de saberes ser amado.
Disseste bom dia.

Acho que foi nesse dia que te tive a certeza da pessoas que eras. Às vezes, espantado, achas estranho o muito que te conheço, e acredito que, nessas alturas, me achas diferente, especial, única talvez.
Nesse dia percebi que, bem escondido, atrás das tuas máscaras, dos teus modos, revelados nos anos que se seguiram, eras apenas um homem que amava, mas mais do que isso querias ser amado.
E querias saber que o eras, por quem e como…
Meses mais tarde, talvez em Junho, entraste ao serviço da empresa.

Será que sabíamos a importância que a existência de cada um de nós teria na vida do outro?
Talvez não.
Talvez sim.
O futuro dá-nos sempre a resposta.
Sem mentiras.
Com toda a verdade.
…

publicado por eu34 às 15:44
link do post | obrigada pela visita | favorito
|
10 comentários:
De Anónimo a 18 de Março de 2005 às 14:46
Azorboy: neste caso concreto a primeira impressão mantém-se até hoje, o que não é necessariamente mau. Como sou bastante instintiva do reconhecimento que faço das pessoas costumo dizer que é uma questão de pele, ou ao tacto é boa, ou nem vale a pena… jinhos e volta sempre.

L.M.: ola cubano, como vay usted? Eu não tinha blog, mas … acedendo a vários pedidos, o primeiro dos quais já foi referido no meu primeiro post… comecei a escrever…lol … vamos lá a ver se me consigo manter motivada. Para deixar o meu link nas visitas que te faço era precisos que eu soubesse… sou fraquinha na informática (cm dá para perceber na apresentação do meu blog!!!). Volta sempre. Fica bem,

Daniel: pensando no que me escreves, eu não acho que atraia personalidades idênticas à minha, mas creio que procuro… (nunca tinha pensado nisso!!!). Quanto a escolher… isso já é outra história… Voltas?

Vampiria: a dúvida é corrosiva, não gosto nada, mesmo nada dela… prefiro uma chapada doida e dolorosa a viver angustiada… bigada pela visita, volta sempre. Fica bem,

O vizinho: estou a tentar não me desmotivar. È que sou perita em desistir. Fica bem,

Gonçalo: obrigada pela visita. Qd ñ gostares diz-me, e podes sp deixar a tua sugestão. Gosto muito de partilhar. Ok? Jokas.

Inconfidente: neste momento o que queria era poder calcorrear uma estrada aberta, sem curvas…até podia ser estreita, mas sobretudo segura e sem grandes decisões de condução… quem sabe a Primavera me trás o sossego que preciso!!!!...

Xupa nu Pipi: já que o meu toque escrito( ;-P ) te faz voltar fico feliz, qualquer dia destes volto a sonhar … beijo quente.
eu33
(http://enigmasolitarios.blogs.sapo.pt)
(mailto:biquinha@sapo.pt)
De Anónimo a 18 de Março de 2005 às 14:30
:-) Sim senhora, desde aquele mail ... voltáste a tocar-me ... Gostei muito :-)XUPA NU PIPI
(http://xupanupipi.blogs.sapo.pt)
(mailto:gakusha@sapo.pt)
De Anónimo a 18 de Março de 2005 às 11:44
O futuro é incerto e cheio de estradas sinuosas.....inconfidente
(http://inconfidencias.blogs.sapo.pt)
(mailto:inconfidencias@sapo.pt)
De Anónimo a 18 de Março de 2005 às 02:09
Participa no meu Concurso "Honey Blog" em http://miriamconcursos.blogs.sapo.ptMiriam
(http://miriamconcursos.blogs.sapo.pt)
(mailto:sol22lua@msn.com)
De Anónimo a 18 de Março de 2005 às 02:09
Olá!! Mais uma vez li e voltei a ler e gostei do que escreveste.
Qt ao futuro...acho que tens razão, quer queiramos, quer não, acaba sempre por nos dar as respostas todas!!
Fica aqui um beijinho para tiGonçalo
(http://www.norastodasondas.blogspot.com)
(mailto:goncalo_t@hotmail.com)
De Anónimo a 18 de Março de 2005 às 00:20
Interessante... continua!o Vizinho
(http://www.vizinho.blogspot.com)
(mailto:o_vizinho@clix.pt)
De Anónimo a 17 de Março de 2005 às 23:20
É verdade..o futuro dá-nos sempre todas as respostas. Ás vezes mais valia não dar...ficar na dúvida em certas situaçoes é bem menos doloroso...beijos* * Vampiria
(http://www.childrenofglamour.blogs.sapo.pt)
(mailto:pppp@hotmail.com)
De Anónimo a 17 de Março de 2005 às 20:41
Atraímos muitas vezes personalidades iguais, mas isso não quer dizer sempre... e temos o poder de escolher, penso...
Um beijo
DanielDaniel Aladiah
(http://aladiah.blogspot.com)
(mailto:aladiah2005@hotmail.com)
De Anónimo a 17 de Março de 2005 às 18:04
Sem duvida ás vezes a primeira sensação visual não quer dizer nada, e quem vê caras não vê corações. Olha da proxima vez quando lá fores ao meu cantinho deixa o link do teu blog eu não sabia que tinhas um???L.M
(http://luismiguel.blogs.sapo.pt)
(mailto:luismiguel.a@sapo.pt)
De Anónimo a 17 de Março de 2005 às 16:13
as aparencias enganam...e nunca devemos ficar pela primeira impressão...pq ás vezes mostramos ser rígidos...apenas por uma qestão de segurança....e no entanto no nosso interior podemos ser mole como manteiga e doces como o açucar...jinhosAzorboy
(http://livretransito.blogs.sapo.pt)
(mailto:marco_Azor@sapo.pt)

Comentar post

.estou por aí... entre a realidade e os sonhos....

.pesquisar

 

.Dezembro 2005

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.posts recentes

. Até lá...

. Análise

. Pergunto...

. Alice perdeu o amor.

. Quarto sem luz ...

. Inocência perdida.

. Espaço vazio.

. Resistir (sem data de reg...

. Li algures...

. A olhar a minha rua.

.arquivos

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Agosto 2005

. Julho 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

. Abril 2005

. Março 2005

.subscrever feeds